sexta-feira, 13 de maio de 2016

Á muda do exoesqueleto do camarão

O exoesqueleto



Como em todos os artrópodes, o camarão tem á presença de um exoesqueleto (esqueleto externo), também denominado cutícula. O exoesqueleto é composto, nomeadamente de proteína, quitina e carbonato de cálcio. A Quitina, um amino açúcar, é o segundo polímero mais produzido no mundo vivo depois da celulose! Tenha cuidado para não dar a "shell" para a cutícula: carapaça (Carapax) não é a totalidade do exoesqueleto, mas apenas uma de suas partes, uma que protege a carapaça.

O exoesqueleto cobre completamente o corpo do camarão e é composto por metameric ou segmentos protegido por placas rígidas: a esclerite volta (tergito), a esclerite ventral (esterno) e sclerites laterais (pleurisia e epimerite). Ele também usa um par de apêndices articulares ventrais inseridos entre epimerite e o externo. Esta é a parte dorsal da carapaça.

O metameric são agrupadas em segmentos que tenham uma função especializada (tagmes): cephalon (cabeça), o pereion (tórax) ea Pleon ( "abdome").

No final da carapaça é o focinho, que se assemelha a uma lâmina serrilhada. A sua forma, comprimento, curvatura e número de denticles que é extremamente importante para a identificação de espécies sob o microscópio.

O Pleon é composto por 6 segmentos articulados. O segundo segmento abdominal, que se encontra na fêmea expandida no abdómen é a Pleuron.

O corpo da extremidade termina na ponta triangular, o telson. Em cada lado do telson, os urópodos é observada no número de quatro, que formam um tipo de leme para que o camarão nade. Telson é muitas vezes decorado com pequenas espinhas.


Crescimento e muda



A cutícula ( exoesqueleto ) do camarão não é elástico, então o crustáceo deve mudar várias vezes durante o seu crescimento, pois o exoesqueleto fica pequeno e não o acompanha. Este processo é chamado de muda ou ecdise. Ele é acionado por um ecsydone, hormônio esteroide, e ocorre em várias etapas.

1) O pré-molt (proecsydie)


Durante a pré-muda, ou proecsydie, camarão realiza uma diminuição das reservas de minerais a partir da casca de modo que ela fique macia e elástica. Ele começa então a sintetizar o novo cutícula, composta por várias camadas de quitina e de proteína, com todos os componentes necessários, que já estão armazenados no estômago. Este processo leva cerca de duas semanas, durante o qual o camarão não se alimenta. Pouco antes de muda, apolysis corresponde ao descolamento da epiderme e a cutícula velha. Esse processo dura alguns dias.

2) Muda (ecsydie ou muda)


Após apolysis, um líquido é segregado entre a epiderme e a cutícula, o líquido exuvial (ou fluido de muda). Ele contém enzimas que digerem as camadas mais flexíveis da cutícula. Uma vez que a nova cutícula é espessa e rígida suficientemente vem a fase de muda em si. O camarão executa movimentos rápidos e rítmicos para rejeitar a cutícula velha (o exuvia) que acaba se rasgando no topo da cabeça, através de uma entrada de água através das guelras e intestinos. Camarão pode levar vários minutos para extrair exuvie.

3) pós-muda (pós-ecsydie)


A operação continua com uma recuperação na secreção cuticular pós-exuviale, isto é um depósito de novas camadas de quitina e proteínas. A cutícula endurece gradualmente: a esclerotização. Em camarão. Este processo ocorre pela assimilação de cálcio a partir da água. Uma vez que as maxilas não estão pressionadas, o camarão pode voltar a alimentar-se novamente.

4) inter-muda (anecsydie)


É durante esta fase que o descanso do camarão ele cresce e se desenvolve. A cutícula, eventualmente endurece no espaço de alguns dias, mas também pode levar várias semanas, dependendo da idade e tamanho do animal.

Então muda é um fenômeno longo e complicado, o que torna seu camarão extremamente vulnerável. A qualidade da água se for pobre ou uma má alimentação pode causar problemas na muda (cutícula que não descolou, mau esclerotização, etc.), infelizmente é fatal. Durante a muda, o crustáceo é imobilizado e não pode enfrentar os predadores. deixando a sua cobertura macia sem proteção por muitas horas, por isso vários esconderijos no aquário são importantes. Quando camarão está "sob pressão" para implantar sua nova cutícula, o menor movimento errado pode causar ferimentos e hemorragia, podendo levá-lo á óbito.

A frequência de muda é muito variável. O camarão jovem, que está crescendo, pode fazer á muda uma vez por semana. Por outro lado, os adultos, que ainda continuam a crescer, mas a uma velocidade muito mais baixa podem trocar de exoesqueleto uma vez por mês ou até 4-5 vezes por ano quando mais velhos. Se um camarão perde um membro, durante uma briga, por exemplo, ele será substituído na próxima muda. Ele será menor e irá atingir o seu tamanho original em mudas subsequentes.

O exuvie, a cutícula velha de um camarão que vem a muda, pode muito bem ser deixado no tanque. O camarão vai comê-lo, e irá reciclar minerais. Tenha cuidado para não confundir um exuvie com um cadáver! Exuvie é tipicamente um transparente e vazia, é apenas um envelope. Se você ver a carne no na cabeça (e os olhos ainda presentes), então é um cadáver, ele deve ser retirado imediatamente para evitar a poluição e / ou contaminação por alguma doença.


Vídeo de trocas de exoesqueleto:











Vídeos: Youtube



3 comentários:

  1. Meu Red Sakura está em processo de muda, a parte da cabeça já está livre. Mas a parte de trás dele ainda está presa, já fazem 16hs. É normal? Há alguma coisa que eu possa fazer para liberar ele da "casca" antiga?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cleiton o ideal é deixar a natureza seguir seu curso. mas sempre podemos dar uma ajudazinha. Tente pegá-lo com á redinha e use um objeto sem pontas e que não seja cortante ou afiado e com muito cuidado tente puxar para fora o exoesqueleto. Mas tome muito cuidado pois nessa hora o camarão está muito frágil e um erro pode levá-lo á óbito ou debilitá-lo.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir